segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Entrevista - Vanessa Santos


Fico muito feliz de dizer que hoje estou postando uma entrevista com a autora Vanessa Santos que publicou A Irmandade, um livro cheio de mistérios que vem chamando muita atenção ultimamente.

Agradeço a Vanessa por me conceder essa entrevista e gente, ela foi muito simpática! Já postei aqui no blog o book trailer do livro dela, então quem quiser conhecer um pouquinho mais da história, acesse aqui


1 - Essa é a primeira entrevista do blog, e pra começar eu gostaria de lhe pedir que se apresentasse aos leitores.

Olá! Sou a Vanessa Santos, tenho 21 anos, sou carioca, curso Psicologia na UFRJ (8º período), e sou autora do suspense "A Irmandade", da editora Usina de Letras. Pretendo trabalhar com Psicologia clínica, abordagem psicanalítica, e continuar investindo na carreira de escritora. Sou apaixonada não só pela Psicanálise e a Literatura (principalmente suspense, fantasia e aventura), mas também por música e séries de TV.


2 - Qual foi sua inspiração para escrever A irmandade? Algum personagem é mais querido pra você?

As idéias para novas histórias vem à minha cabeça como estalos, aquelas lampadazinhas que acendem acima de nossas cabeças, e pode acontecer a qualquer momento, no banho, no ônibus, em frente ao computador. "A Irmandade" não foi diferente. Surgiu primeiro a idéia do Circo, eu andava ouvindo falar muito de circo naquela época (2007) e resolvi que ia incluir um numa história. Pensei nos personagens, e nas tramas, e depois surgiu a idéia de um protagonista ex-presidiário tentando reconstruir sua vida e indo trabalhar nesse circo. Ao pensar nele, surgiu logo depois a idéia da oraganização secreta chamada "Irmandade"que estava por trás de todos os seus problemas. Um personagem mais querido? Todos são, mas adoro o vilão, Luiz (embora ele não seja o único vilão), por ser um personagem muito rico psicologicamente, obcecado por uma mulher, mas frio, mau-caráter, oportunista, manipulador... Há também o Vinícius, noivo da personagem Elisa, mas esse não posso dizer por que. Fiquem de olho nele, é tudo que digo!

3 - O que seus leitores podem esperar do livro?

Uma história cheia de mistérios, suspense, ação, intrigas, traições, e é claro, o toque de romance que toda história tem que ter. Ah, e muitas surpresas!

4 - O que é exatamente e quais são as intenções da Irmandade ?

A Irmandade é uma organização secreta com bases em países no mundo todo. Ela recruta jovens para trabalharem como assassinos, hackers, ladrões profissionais, espiões etc. E eles realizam esses serviços na forma de missões repassadas por seus superiores e recebem por isso, salário fixo e comissão. É o que eu gosto de chamar de "multinacional do crime". Trata-se de um emprego fixo, com regras muito rígidas a seguir e uma administração organizada e forte.

5 - Como surgiu a idéia de adicionar toda uma trama em um ambiente circense?

Eu fiquei apaixonada pelo Cirque du Soleil anos atrás quando conheci o trabalho deles. Me fez pensar sobre toda essa magia do circo. Um belo dia surgiu a idéia de fazer uma trama ambientada nesse contexto.

6 - Além dessa série, você está trabalhando em algum outro projeto?

Sim, numa história muito interessante, em parceria com meu amigo Caio. É bem diferente de "A Irmandade", tem drama, ação e muitas intrigas, mas não tem organizações secretas, não como a Irmandade. O protagonista é um jovem que sonha em se tornar um grande jogador de futebol.

7 - Você pode nos contar algo do próximo livro que ninguém saiba ainda (claro, algo que não estrague a surpresa)?

Hummm, sem estragar a surpresa, a continuação de "A Irmandade", que vejam só, comecei a escrever hoje (21/10), se passa 6 anos após os acontecimentos ao final do primeiro livro. Também pretendo explorar mais as origens da Irmandade, ainda não muito discutidas, e mostrar alguns efeitos psicológicos no personagem Moisés de tudo que aconteceu. No mais, vamos ver o que esses personagens estão fazendo da vida, quem volta, quem não volta, quem pensamos que foi e na verdade ainda está por aí...ops!

8 - Publicar um livro no Brasil é, em geral, uma tarefa complicada. Pra você foi difícil conseguir publicar A Irmandade? Nos conte como foi.

A dificuldade que tive na verdade foi o investimento financeiro que precisei fazer, e ainda faço. É um custo muito alto e o lucro é pouco no começo. Conheci a editora Usina de Letras pelo namorado da amiga de um amigo (é, isso mesmo! rsrs), eles se interessaram pelo meu livro quando enviei e assim tudo aconteceu. Simples, mas caro!

9 - O que você poderia dar como conselho para tantos aspirantes no meio?

É difícil dar conselhos nesse ponto, mas digo para esses aspirantes não desistirem! Parece clichê, mas é verdade, a estrada é longa e tortuosa para a maioria de nós! Mas tentem, procurem editoras menores (as grandonas não são abertas a novos escritores, ainda mais nacionais, essa é a verdade), e trabalhem muito por conta própria, não esperem cair do céu, divulguem seu trabalho, façam Twitter, Orkut, Facebook, Blog, sejam perseverantes e não fiquem inibidos com os gastos, porque são muitos no começo, mais gastos do que lucro. O retorno é lento, mas constante!

10 - Como é seu processo criativo? Exemplo - você vai a bibliotecas e cafés ou prefere ficar sozinha em casa.

As idéias geralmente tenho enquanto estou numa aula da faculdade, ou no ônibus, ou tomando banho, como já disse, mas para escrever preciso estar sozinha em casa. Um detalhe do meu processo criativo é que eu PRECISO escrever tudo num rascunho à mão primeiro, eu nunca escrevo direto no computador. Primeiro faço o rascunho à mão, depois digito, na versão final, incluindo as pesquisas que fiz, sobre os lugares por onde os personagens passam, entre outras coisas.

11 - Defina seu livro em uma palavra.

"Surpreendente".

12 - Desde quando você escreve e em que momento descobriu que era essa a carreira que queria seguir?

Escrevo desde os 8 anos. Eu via "Chiquititas" e a personagem Mili começou a escrever historinhas. Eu, então, resolvi que ia escrever também, assim do nada, só para fazer como ela. Fui crescendo e as histórias foram crescendo comigo. Acho que no fim acabou dando certo, né? (rsrs)


13 - Você foi o tipo de criança que vivia "com a cara enfiada em livros", especialmente não-didáticos (como eu rsrsr)? Qual era seu estilo literário favorito?

Hummm, eu não diria "cara enfiada em livros", mas sempre gostei de ler. Lembro de sempre alugar livros infantis na biblioteca da escola quando ainda estava na 3ª, 4ª série. Também lembro de ler as obras do Shakespeare quando estava na 7ª ou 8ª série, contadas em versões mais juvenis. Depois disso, li Harry Potter, O Senhor dos Anéis, essas coisas. Quando vi, estava lendo A Divina Comédia, do Dante Alighieri e Ensaio Sobre A Cegueira, do José Saramago, ainda no 1º ano de Ensino Médio. Não lia MUITO, mas lia SEMPRE, o que faço até hoje. Gosto muito, atualmente, de suspense, aventura e literatura fantástica.

14 - Bem, chegamos ao fim...você gostaria de deixar algum recado para os leitores?

Gostaria de agradecer a você, Amanda, pelo carinho, e pela honra de ser sua primeira entrevista para o blog! Adoro falar um pouquinho sobre mim para que as pessoas possam conhecer melhor quem escreveu "A Irmandade".

Aos leitores, quero falar que nem cantores falam nos agradecimentos de encartes de cd: "eu não estaria aqui se não fosse por vocês, então muito obrigada!" Essa é a verdade, mando um beijo especial a esses leitores que se interessam pelos novos autores nacionais, literalmente dando uma chance a conhecer o nosso trabalho. Vocês não imaginam o quanto isso é importante para nós! Aos que gostaram de "A Irmandade", espero que possam ler a minha história em breve, e que se envolvam, se encantem e se choquem (rsrsrs) com a "multinacional do crime".


Para quem ainda não viu a capa do livro, confere aqui! O livro já está a venda no site da Editora Usina de Letras e no Mercado Livre.



Eu fiquei muito intrigada com essa história e estou muito curiosa para ler o livro. E vocês curtiram a entrevista?


3 comentários:

Kmila disse...

Puxa adorei a entrevista. Não conhecia o livro, mas agora vou procurar saber sobre ele.
bj

Vanessa M. disse...

hmmmmmmmmmmmmmmm mas um livrinho pra minha coleção! Cara ja tem tanto livro na minha "lista" que minha mãe vai me matar e cortar os pedaços só pra pagar meus bebês T.T
Anyway, o livro parece bom! Parabéns pela entrevista! *-----------*

Amanda disse...

Obrigada meninas, que bom que gostaram da entrevista.

Que isso Vanessa! Espero que não chegue a tanto rsrsrsrs