terça-feira, 31 de agosto de 2010

Fanarts # 7


Mais uma seção de fanarts, só que agora é de um dos livros mais populares da autora Meg Cabot - a série A mediadora. São estilos completamente diferentes o que os torna ainda mais interessantes.
A última fanart é dos personagens Paul e Suze; todas as outras são de Jesse e Suze. Muito legais não são??


domingo, 29 de agosto de 2010

Vídeos # 8

Esse post eu encontrei no blog da Adriana Zardini, Jane Austen Sociedade do Brasil, e não resisti


Pride and Prejudice and Star Wars


Eu descobri este vídeo hoje cedinho, meio que sem querer... é uma mais uma montagem com cenas do filme Star Wars e falas/músicas de Orgulho e Preconceito (2005) com Keira Knightley e Matthew Macfadyen. O interessante é que a pessoa que fez a montagem conhece tanto Orgulho e Preconceito quanto Star Wars e colocou cada personagem (mesmo que em alguns casos não fossem do mesmo gênero). Como Natalie Portman fez Star Wars, ela faz o papel de Lizzy Bennet nesta montagem. Será que é uma boa preview de Orgulho e Preconceito e Zumbis?





Muito engraçado não é?


sábado, 28 de agosto de 2010

Vídeos # 7

Mas um post de vídeos recheado. Olha só!

Primeiro mais um vídeo de Sophie Kinsella lendo um trecho do livro Mini Shopaholic. Essa é a terceira parte, então se quiser ver as outras duas clica aqui





Tem também a terceira parte do booktrailler de Torment, segundo livro da série Fallen de Lauren Kate. Esse é bem curtinho. Se quiser ver as duas partes anteriores clica aqui






Esse foi um booktrailler interessante que encontrei no youtube para o livro Torment. Vejam!




Não falei que estava recheado rsrsr ...


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Na rede # 21


Alyson Noël, - que também terá um conto publicado no livro Kisses from Hell lançado em 24 de agosto nos EUA e que conta também com as autoras Richelle Mead, Kristin Cast, Kelley Armstrong e Francesca Lia Block, - divulgou o nome de seu conto e de que se trata. O conto será chamado de Bring me to life e conta a história de uma garota que vai pra uma muito prestigiada escola de arte na Inglaterra só pra aprender que não é exatamente o que ela pensava.

Ah, e olha que capa linda do livro Shadownland na Alemanha




Sophie Kinsella, autora da série de livros Becky Bloom, publicou sete livros com um pseudônimo de Madeleine Wickham. Os livros, lançados nos Eua, Canadá e Reino Unido, são os seguintes: Sleeping Arrangements; The Wedding Girl; The Gatecrasher; Swimming Pool Sunday; A Desirable Residence; The Tennis Party; Cocktails for Three. Este último será lançado no Reino Unido com uma nova capa eu eu achei bem legal.



Laurell K. Hamilton divulgou o nome do próximo livro da série Anita Blake. O nome, que ela manteve segredo até agora por receio de acabar preferindo outro, será
Hit List. Segundo Hamilton esse título tem tudo a ver com o próximo livro que será lançado no próximo verão no hemisfério norte. Oh curiosidade!!!

Quero ler todos!!



terça-feira, 24 de agosto de 2010

House of night - Traída

Zoey se estabelece na Morada da Noite. Finalmente sente-se incluída e aprende a controlar seus poderes. Agora ela supera novos desafios, luta contra a morte que se abate sobre adolescentes humanos e sobre a própria Morada da Noite e, de repente, percebe que seu coração e sua alma acabam de ser partidos por uma grande traição. Nesse segundo livro da série House of Night depare-se com novos mistérios, surpreendentes emoções e muita sensualidade.

É incrível como a vida de Zoey mudou tanto em tão pouco tempo. Há menos de um mês ela era só uma adolescente e agora é marcada, treina para se tornar vampira ( claro se o corpo dela não rejeitar a transformação), é a primeira novata/vamp com afinidade pelos cinco elementos e com uma marca estendida e ainda é lider das Filhas das Trevas. Ufa, é muita coisa...

Zoey agora tem que pensar sobre qual será a nova maneira de agir das Filhas das Trevas adotada por ela e sobre seu primeiro ritual. Enquanto isso muita coisa está acontecendo na Morada da Noite, entre elas o fato de ela ficar dividida entre três gatos lindos, sim isso mesmo, você leu direito, TRÊS: Erik, o namorado; Heath, o ex-namorado (ah, as coisas ficaram bem quentes entre eles ); e até um professor substituto da escola, Loren Blake, um poeta laureado muito fofo. Sério, que vida difícil né?!!! rsrsrs

Mas é claro que não dá pra serem tudo flores... Primeiro Aphrodite tem um visão que deixa Zoey muito confusa (ela acha que tem a ver com os alunos mortos), depois ela escuta Aphrodite falando com Neferet o que parecia ser sobre a própria Zoey e Loren (ela viu uma ceninha suspeita), mas Neferet começa a dizer que as visões dela não valem de mais nada e que Nyx retirou seu dom (tá, muito rude dela por sinal), e por fim Zoey tem a prova que Aphrodite ainda tem o dom quando ela prevê um acidente que mataria a avó da nossa personagem principal.

Só pra deixar as coisas mas confusas, alguns garotos que jogam no time de football da Union (escola secundária) desapareceram e depois foram encontrados mortos, e mais, com lacerações e sem sangue; ou seja, parece coisa de vampiro. Certo? Bem, sim e não, mas não vou contar ; )

Depois do sumiço do segundo garoto, dois policiais vão à Morada pra conversar com Zoey, pois ela conhecia os garotos por causa de Heath. Mas tem mais: a ex-melhor-amiga dela, Kyla, falou várias besteiras pra polícia e o colar de líder das Filhas das Trevas foi encontrado perto de um dos corpos...

Bem, mas as surpresas não param por aí... primeiro Zoey vê Neferet em uma conversa bastante estranha com o "garoto-fantasma" Elliot; segundo Heath também some e sabe quem a ajuda a encontrá-lo? Ah, não vou contar, senão estraga.

Neferet, por sinal, vem agindo de modo muito estranho, situações que deixam Zoey confusa e desconfiada.

Mas ainda tem muita emoção pela frente e se preparem para uma determinada cena perto do final em que você pode ficar, como eu, com a garganta embargada. É algo muito triste...

Por fim, eu gostei mais desse livro do que do primeiro da série (Marcada). Achei-o um pouco mais coerente e mais emocionante.

Mas e você já leu? O que achou?

Autora: P.C. Cast e Kristin Cast
Editora: Novo século


segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Fanarts # 6


Vamos continuar com as fanarts dos casais de Crepúsculo. E pra isso hoje vou postar do casal mais família, mais unido de todos: Carlisle e Esme.

O correio chegou # 5

O post de hoje traz dois livros que eu estava querendo muito, mas muito mesmo... São dois livros inspiradores.

O primeiro - Morto até o anoitecer - é o livro que inspirou a série de Tv True Blood.


O segundo - Os diários de Carrie - é da autora dos livros de sucesso Sex and the city que virou uma série de TV e alguns filmes.


Então, não são inspiradores? rsrrss


sábado, 21 de agosto de 2010

Excerpt

Trecho do conto Sunshine de Richelle Mead que conta a história dos pais de Lissa, personagem de Vampire Academy. É isso mesmo, um trecho do livro traduzido!!!

" Capítulo 2

Rhea Daniels não gostava de barcos. Ela sempre se perguntava se isso tinha algo a ver com ser uma portadora de fogo. Todos os Morois tinham uma ligação mágica com um dos quatro elementos - terra, ar, água ou fogo. Aqueles que usavam a água pareciam sempre amar nadar e estar em barcos. Não Rhea. O balanço para frente e para trás - mesmo em um barco de grande porte como esse - fez ela sentir náuseas, e ela tinha um medo constante de cair da lateral e afundar em um escuro e frio túmulo.

Isto não a impediu de ficar perto da borda esta noite, longe das risadas dos outros que ainda estavam falando sobre o ataque na praia. Ela não ligava para seu isolamento, ela não conhecia a maioria deles mesmo. Além disso, o lado de fora do iate recebia mais vento, e aquele ar frio fez ela se sentir um pouco menos doente. No entanto, ela ainda agarrou a grade com um aperto que fez doer seus dedos. Fazendo uma careta, ela olhou em frente para seu destino. Como todos os vampiros, ela tinha excelente visão noturna e podia discernir a forma escura da ilha contra o céu estrelado. Eles não estavam se movendo rápido o bastante, não tanto quanto ela queria.

- Suas mãos não doem?

A voz assustou-a. Morois tinham uma boa audição, também, mas o recém-chegado pegou-a desprevenida. Dando uma olhada, ela viu um garoto olhando-a atentamente enquanto punha as mãos na sua calça caqui. O vento fazia uma bagunça com seu cabelo louro-pálido, mas ele não parecia notar. Essa cor de cabelo era fascinante. O dela mesma era um dourado luminoso, mas o dele era de platina que provavelmente pareceria branco na luz certa. Houve também um ar real dele, como alguém que tivesse nascido e sido criado com poder e prestígio, mas essa descrição se aplicava a maioria dos que estavam naquela viagem.

- Não. - Ela mentiu. Fez-se silêncio. Rhea odiava o silêncio. Ela sempre sentiu a necessidade de manter uma conversa e esforçou-se agora para pensar no que dizer depois. - Por que você está aqui? - As palavras soaram dura e ela estremeceu.

Ele deu um pequeno sorriso. Ele tinha lábios bonitos, ela decidiu. - Você quer que eu a deixe? Essa é sua parte privada do navio?

- Não, não, claro que não. - Ela esperava que ele não pudesse vê-la corar no escuro. - Eu apenas pensei...Quer dizer, estou surpresa de você não estar com os outros.

Ela achou que ele poderia fazer alguma observação provocativa, mas, para sua surpresa, o sorriso desapareceu. Ele desviou os olhos e olhou para o mar. Ela estudou suas roupas como ele fez. Ele não estava de smoking ou algo assim, mas as calças e o suéter "gritaram" mais riqueza e status. Ela se atentou de suas próprias calças jeans. As próximas palavras dele a trouxeram de volta de sua análise de moda.

- Eu acho que estou cansada de ouvir as histórias de Strigoi. - disse ele em uma voz firme, definitiva. - Como se fosse alguma espécie de sideshow maravilhoso.

- Ah. - Ela olhou para onde aquela garota, Ashley?, estava recontando sua história pela centésima vez. Rhea continua ouvindo trechos disso, e a história parecia ficar mais elaborada cada vez que era contada. Nessa versão os Strigoi tinham mesmo jogado-a no chão, e foram necessários todos os guardiãos para resgatá-la. Rhea voltou sua atenção para o estranho companheiro. - É...eu não acho isso interessante, ao menos não do jeito deles.

- Não acha? - Ele olhou para ela, com olhos esbugalhados como se fosse a coisa mais estranha do mundo alguém que não pensaria que um ataque de Strigoi foi legal. Ela viu então que seus olhos eram cor de jade, tão fascinante pra ela quanto seu cabelo. Esse tom de verde era lindo e raro, apenas aparecendo em algumas das famílias reais. Os Dashkovs eram uma, mas ela não conseguia se lembrar dos outros.

- Claro que não - , ela zombou, esperando que seu exame dele não tenha sido muito óbvio. - Eles não estariam tão animados se alguém tivesse sido realmente ferido. Quero dizer, Deus, não se lembram do ataque no início desse ano em San Jose?Quando todas aquelas pessoas morreram?

A postura dele ficou rígida, seus olhos selvagens, e ela rapidamente lamentou sua palavras. Ele tinha conhecido alguma das vítimas? Sentiu-se estúpida e desajeitada, repreendendo-se em silêncio por não pensar antes de falar.

- Me desculpe, eu não deveria ter...

- Você se lembra disso? -, ele perguntou, sua voz tão confusa quanto antes.

- Sim...Como eu não poderia? Quero dizer...Eu não conheci ninguém pessoalmente, mas todas aquelas pessoas ...a maioria era Lazars, mas havia aquele senhor Szelsky...e a esposa do príncipe Dragomir. Qual era o nome dela?

- Alma -, ele disse baixinho, ainda parecendo admirado.

Rhea hesitou, sem certeza do quanto ela deveria dizer sobre isso. Ela estava certa agora que ele tinha conhecido alguém. - Bem, isso foi horrível. Mais que horrível. Não posso sequer imaginar como as famílias deles devem se sentir.

- Foi há seis meses -, ele disse abruptamente.

Rhea franziu a testa, tentando descobrir o significado daquela afirmação. Ele não estava aceitando aquilo ou significava que seis meses era muito tempo, o que pra ela não era. Ele falou como se ele estivesse testando ela, o que não fazia muito sentido.

- Eu não acho que seis meses seja tempo suficiente para superar a perda de alguém que você ama - , ela disse por fim.

Ele abriu a boca pra dizer alguma coisa, mas uma súbita onda sacudiu o barco. O barco balançou levemente, causando alguns gritos nervosos na multidão atrás deles. Rhea engasgou e apertou a grade com mais força, o que ela realmente não tinha pensado que seria possível, e escorregou um pouco. Seu companheiro a segurou, ajudando-a a permanecer firme quando o barco endireitou-se e recuperou seu bom velejar.

Respire fundo, respire fundo, ela disse a si mesma. Não era isso que as pessoas faziam para se acalmar? Respirar fundo não parecia ser um problema para ela. Ela estava à beira da hiperventilação, e seu coração parecia que logo ia bater para fora de seu peito.

- Calma -, ele disse com a voz baixa e suave. - Você está bem. Foi apenas uma onda ruim.

Rhea não podia responder. Seu corpo ficou tenso e rígido, incapaz de se mover ou reagir em seu terror.

- Hey. - Ele tentou de novo. - Tudo está bem. Olha, nós estamos quase lá, vê?

Com muito esforço Rhea virou-se para onde ele apontou. Claro bastante, a ilha estava muito mais perto. Um conjunto de luzes marcou o cais, e pessoas ao longo da costa pareciam prontos para guiá-los.

Expirando, ela relaxou seu aperto, um pouco, e mexeu seu corpo. Ele ainda segurava ela, aprentemente sem certeza se ela realmente estava bem.

- Obrigada -, ela disse por fim. - Eu estou...Eu estou bem agora.

Ele esperou por mais alguns instantes e então finalmente a soltou. Quando ele tirou sua mão de onde tinha estado pressionando a dela, ele pareceu surpreso ao notar o anel que ela usava. Seu grande diamante de corte marquise brilhava em seu dedo. Ele olhou para ela em choque, como se estivesse vendo uma cobra lhe envolvendo a mão.

- Você está...você está noiva?

- De Stephen Badica

- Sério?

O tom de sua voz, soando descrente, de repente desencadeou uma feroz faísca nela. Claro ele ficou surpreso. Por que não seria ele? Todos estavam. Todos se perguntavam como era possível que Rhea Daniels, que era apenas meio-real, poderia ter capturado o interesse de alguém que veio de um prestigiado ramo de sua linha. O casamento dos pais dela tinha sido escândalo suficiente. Todo mundo pensou que o casamento de sua mãe a rebaixou, e Rhea sabia a dor que aquilo tinha causado na mãe para encorajar seu compromisso com Stephen.

Ainda assim, Rhea odiava as insinuações. Ela tinha ouvido sussurros, pessoas que se perguntavam se talvez os pais dela tinham feito algum tipo de acordo com os pais de Stephen, alguns subornos. Ouros disseram que Stephen estava interessado porque ela era fácil, e que o compromisso não findaria uma vez que ele se cansasse dela. Ela sabia que os dois pareciam um casal estranho. Rhea era tranquila, mas uma observadora no mundo. Stephen era extrovertido e agitado, sempre no centro do mundo, tanto que ele estava fora agora com os outros, revivendo a emoção anterior.

Rhea afastou-se do loiro. - Sim. -, disse ela. - Sério. Ele é ótimo. Ele me convidou. - . Ela era uma das poucas pessoas aqui que não tinha estudado na Academia St. Vladimir.

- Yeah... - Esse cara não soava estar totalmente certo. Principalmente, ele ainda parecia confuso. - Eu só...Eu apenas não posso ver vocês dois juntos.

Claro que não. Ele obviamente era alguém elitizado. Mesmo entre a realeza, havia alguns que eram melhores que os outros. Foi mesmo uma maravilha ele vir falar com ela.

- Você não se preocupa....Você não se preocupa que você ainda seja muito jovem? - De novo, ele elevou o tom da pergunta, irritando-a.

- Quando você encontra alguém bom, você não precisa saltar de pessoas pra pessoa.

Ele vacilou e parecia se atrapalhar com uma resposta, deixando-a saber que ela atingiu uma área sensível. Ele foi salvo quando uma menina de cabelos muito castanhos o chamou para ir se juntar a eles. Ela se dirigiu a ele como Eric.

- É melhor você ir -, disse Rhea. - Foi bom conversar com você.

Ele começou a se virar e em seguida hesitou mais uma vez. - Qual é seu nome?

- Rhea

- Rhea...-, ele disse o nome como se estivesse analisando cada sílaba. - Eu sou Eric

- Sim, eu ouvi. - Ela olhou pra trás sobra a borda do barco sinalizando que ela tinha encerrado a conversa com ele. Ela teve a impressão que ele poderia dizer algo mais, mas depois de vários longos segundos, ela só pode ouvir o som dele se afastando, quando as ondas bateram ao lado do barco."

Nossa, muito legal não é. Estou louca pra ler o livro. Ah se você quiser ler esse trecho em inglês clica aqui. Mas diz aí, o que achou? Ficou com vontade de ler tudo???



sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Vídeos # 6

Mais uma seção de booktraillers no blog, mas essa é linda... Os traillers são muito fofos e dão muita vontade de ler os livros.

O primeiro booktrailler é do livro de Christine Johnson - Claire de Lune, que conta a história de uma garota que descobre ser de uma raça de lobisomens. Pois é, uma lobisomem mulher! Se você não conhece a sinopse do livros clica aqui
.





O segundo booktrailler já deve ser conhecido de muitos, mas como eu ainda não postei aqui no blog e eu achei muitooo maneiro, resolvi por agora. É do livro de Sophie Kinsella, Twenties Girl.






Lindos os dois não são?


quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Na rede # 20


Olha essa postagem vai ficar bem grande, então preparem-se, pois são muitas notícias.


Richelle Mead, autora de Vampire Academy, postou em seu site um trecho - o segundo capítulo - de seu conto, Sunshine, que será lançado em um livro chamado Kisses from Hell junto com contos de outras autoras. Sunshine conta a história dos pais de Lissa de Vampire Academy e será lançado em 24 de agosto. Richelle também disponibilizou o link pra a pré-venda do livro, que pode ser autografado, no site da University Bookstore. Pra comprar você deve procurar pelo nome do livro, não pelo da autora, escolher entre uma das duas opções de formato : Paperback ou Hard Cover (Capa dura) e clicar em Reserve a copy. Na parte do pagamento há um campo de comentário onde você deve escrever - pra ter uma livro assinado - "Please send me a personalized signed copy (or copies)" e o nome que você quer que apareça na dedicatória como: make it out to me, Amanda. Agora que você já sabe como comprar, está esperando o que???
Como a tradução do capítulo é muito grande vou criar um post novo só pra ele para que esse não fique muito confuso. O nome do tópico será Excerpt.


Eu já postei aqui o booktrailler do novo livro da Meg Cabot, Insatiable, mas ainda não tinha a sinopse dele. Então, resolvido! Pra quem ainda não sabe qual a história do livro, aqui está ...

" Cansado de ouvir falar de vampiros? Essa é Meena Harper. Mas os patrões estão fazendo-a escrever sobre eles de qualquer maneira, apesar de Meena não acreditar neles. Não que Meena não seja familiarizada com o sobrenatural. Veja, Meena Harper sabe como você vai morrer. (Não que você vá acreditar nela. Ninguém acredita). Mas nenhuma premonição de Meena poderia a preparar para o que acontece quando ela conhece - então comete o erro de se apaixonar por - Lucien Antonescu, um príncipe dos tempos modernos com um pouco de lado escuro. É um lado que muitas pessoas, como uma antiga sociedade de caçadores de vampiros, preferiria vê-lo morto.
O problema é, Lucien já morreu. Talvez por isso ele seja o primeiro cara que Meena já conheceu com quem ela poderia se ver tendo um futuro. Veja, enquanto Meena sempre foi capaz de ver o futuro de todo mundo, ela nunca foi capaz de olhar para o seu próprio. E enquanto Lucien parece com tudo que Meena já sonhou em um namorado, ele pode se tornar mais como um pesadelo. Agora pode ser uma boa hora para Meena começar a aprender a prever seu próprio futuro... Se ela ainda tem um. "



O blog Books Obsession postou semana passada uma entrevista com a autora do livro Claire de Lune, Christine Johnson. Vou postar aqui alguns trechos traduzidos dessa entrevista, mas se quiserem vê-la na íntegra é so clicar aqui.

BO - Com tantos romances sobre lobisomens escritos agora, como você fez o seu?
CJ - Foi muito fácil, desde que comecei a elaborar Claire muito antes da popularidade (muito recente) dos romances de lobisomens. Eu comecei a construir minha própria mitologia particular dos lobos pesquisando os mitos tradicionais de lobisomens, e depois sobrepondo com a minha idéia de uma espécie de lobisomem mulher.

BO - Você colocou características de pessoas que você conhece na vida real em seus personagens?
CJ - Sim e não - nenhum personagem é baseado em nenhuma pessoa em particular que eu conheça, mas eu poderia pegar o cabelo de uma garota que eu conheci no ensino médio e misturá-lo com o capricho de um chefe que eu tive uma vez e mecha com um pouco dos gostos musicais dos adolescentes do meu bloco. Logo os personagens são tão únicos que ele não lembram mais ninguém, eles são só eles mesmos. É quando eles estão prontos para fazer parte da história.

BO - Como você escolheu o título Claire de Lune?
CJ - (...) Em francês Claire de Lune significa Luz da Lua, que é apropriado para uma história de lobisomens, mas com Claire como o nome da protagonista, isso poderia ser lido como Claire da lua. De novo - muito perfeito para uma história de lobisomens. Eu adorei os muitos significados misturados com a referência musical. Era bom demais pra resistir!

BO- Descreva Claire em uma palavra e por que?
CJ - (...) Eu acho que eu teria que escolher "dedicada." Ela é muito leal, e também teimosa, e um pouco idealista quando se trata de sua própria visão de como o mundo deveria ser. (...)

BO - Tem algum projeto que esteja trabalhando atualmente?
CJ - Sim. Nocturne, a sequência de Claire de Lune, está sendo preparada para ir para edição. Sairá em maio de 2011.

(...)

Para quem não teve a oportunidade de conhecer a história do livro e ver a capa vou postar aqui a sinopse de Claire de Lune.

"Hanover Falls não teve um problema com lobisomens em mais de cem anos. Seatle, Copenhagen, Osaka - eles já tiveram muitos ataques. Mas quando humanos começam a morrer na cidade de Claire Benoit, o pânico se espalha mais rápido que o rumor de uma pep rally*. Na festa de dezesseis anos de Claire, os sórdidos crimes são o único assunto. Mas a grande notícia para Claire é que Mathew Engle - deus do futebol do ensino médio e filho de um mundialmente renomado especialista em licantropia - a notou. E flerta com ela. Muito.
Naquela noite, Claire descobre que ela é a última de uma longa linhagem de lobisomens Benoit, e que ao contrário da crença popular, todos os lobisomens são do sexo feminino. Matar humanos é proibido por um código da alcatéia, mas um lobisomem desonesto quebrou essa lei, ameaçando a existência da nova alcatéia de Claire. Enquanto a alcatéia trabalha para encontrar e lutar contra o lobisomem desonesto e Claire lida com sua identidade lupina, o coração dela e sua lealdade estão divididos. Claire deve manter sua nova vida em segredo até de sua melhor amiga - e principalmente de Mathew, cujo pai está liderando a caça aos lobisomens...e por quem Claire está impossível e inegavelmente de quatro de amor.
*reunião para animar os membros de uma equipe esportiva da escola.


Ufaa, muita coisa! E tem mais notícia vindo por aí, mas é que essa postagem já está muito grande, então parei aqui. Mas o que acharam? Olha, estou louca pra ler os três livros, pena que só importando mesmo, pelo menos por enquanto, então vou ter que esperar um pouco. E as capas? Que isso, lindas!! Não concordam???


quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Party # 2

O blog Even's Fan Garden reuniu semana passada um grupo de autoras para participar de um chat junto com os seguidores do blog. Esta "party" recebeu o nome de 'A Midsummer Night's Chat' e contou com a participação das seguintes autoras: Beth Fantaskey, Cheryl Renee Herbsman, Christine Johnson, Elizabeth Eulberg, Gayle Forman, Heidi R. Kling, Holly Cupala, Janni Lee Simner, Lorie Ann Grover, Maria V. Snider, Sherry Browning Erwin, Sydney Salter.

Foram vários dias de chats e entre as datas eram feitas postagens contando com a presença das autoras. Um dos temas foi abordar personagens femininas fortes e cada autora deveria comentar sobre o assunto e incluir as personagens dos seus livros. Vou postar aqui os trechos mais interessantes..


Cheryl Renee Herbsman - Autora de Breathing

"Quando ouço as pessoas falarem sobre força feminina, a primeira coisa que vem à minha mente é: Como podemos definir a força? Gosto de ler livros que a liderança feminina é mal-humorada ou pode chutar alguns traseiros. "



Holly Cupala - Autora de Tell me a secret.

"Eu não tenho certeza se é possível definir um conjunto de traços para personagens fortes -insolente ou confiante, inteligente e experiente, corajoso ou simplesmente determinado - ou se gostaria. Porque no final, esses caracteres seriam apenas um conjunto de traços, soprada pelos ventos do inesperado."



Heidi R. Kling

Autora de Sea
(Não fez postagem sobre o assunto)


Janni Lee Simner - Autora de Bones of Faerie and Thief Eyes

Ela cita filmes e livros em que a personagem feminina, por mais forte que seja, é sempre esquecida ao lado do masculino. "Para mim, uma menina ou uma mulher forte é aquele que é escrito com a força necessária para usar seu poder e seu arbítrio, seja ele qual for, e assim não se torna um espectador na história de sua própria vida."


Lorie Ann Grover - Autora de Loose Threads, On Pointe, and Hold Me Tight

A autora optou por escrever um post como se fosse uma carta pra ela aos dezesseis anos de idade. Eis um trecho: "Você vai escrever romances sobre essas dores e muito mais, e eles vão tocar os outros. O que está acontecendo com você vai fazer a diferença para eles."


Maria V. Snider - Autora de Study Series, Glass Series and dystopian novel Inside Out.

Ela fala como as personagens femininas fortes mecheram com a vida dela. "E agora o ponto ... Esses personagens não só alimentaram minha imaginação, mas me inspiraram a tentar - a me aventurar para fora da minha zona de conforto."



Sherry Browning Erwin - Autora de Jane Slayer, Once Wicked, The Scoundrel’s Vow, Vampire Romance, To Hell with Love, e Naughty or Nice.

"Não foi há muito tempo que o "forte" era uma descrição exclusiva para os heróis, nunca usado para uma líder feminina. Heroínas poderiam ser "determinadas", "perseverantes", " ou a sempre temida "resoluta", mas raramente ia chamá-las fortes. Tenho orgulho de dizer que nós, o público leitor, evoluímos. Não só estamos autorizados a chamar a liderança feminina de "forte", mas estamos autorizados a reconhecê-las como uma coisa boa e não um capricho, super bizarro."

Sydney Salter - Autora de My Big Nose And Other Natural Disasters, Jungle Crossing, e Swoon At Your Own Risk.

Ela escreve trechos de suas personagens em vários livros. "Levante-se por aquilo que acreditam".



Gayle Forman - Autora de If I Stay, Sisters In Sanity, and You Can’t Get There From Here.

"Porque eu acho que a qualidade inefável que o torna uma personagem feminina forte - e um livro sobre sua dependência - ultimamente, tem pouco a ver com a aptidão física ou ingenuidade ou esperteza ou a bravura de resiliência, mas com a fonte que alimenta todas as coisas. Generosidade. Especificamente, generosidade emocional."


Beth Fantaskey - Autora de Jessica’s Guide to Dating on the Dark Side and Jekel Loves Hyde.

"Então aqui está as meninas poderosas, imaginárias e principalmente reais, e tanto para aquelas que nascem sem medo e, especialmente, aquelas que se agarram ao poder dentro de si, justamente quando elas se sentem suas fraquezas. Vocês todos me inspiram as suas maneiras e às vezes, eu nem percebo."

Christine Johnson - Autora de Claire de Lune

"Eu realmente acredito que os personagens femininos fortes são mais importantes no gênero sobrenatural que em outros. O Romance YA sobrenatural é uma versão perfeita e idealizada do amor. O amor humano tem que superar coisas como desaprovação dos pais e a dificuldade geral de encontrar alguém que você não queira mandar embora depois de 6 meses. O romance sobrenatural está em outro nível."
Elizabeth Eulberg - Autora de The Lonely Hearts Club e de Prom & Prejudice

"Meus personagens não lidam com batalhas épicas que exigem espadas ou poderes mágicos. Eles têm de lidar com os problemas do ensino médio regular, que pode ser ainda mais assustador do que derrubar uma criatura do mal. Mesmo que meus personagens sejam meros mortais, eu queria ter a certeza de criar fortes, positivas modelos femininas."



Eu participei de um dos chats e foi bem legal, e corrido também, afinal eram muitas pessoas ao mesmo tempo. O blog se propunha a fazer várias perguntas dentro do tema escolhido: Criação de novos mundos na literatura. Alguns participantes foram sorteados para ganhar prêmios.

Existiram outros chats e em cada um deles havia um grupo de autoras, não necessariamente as mesmas dessas que foi citado acima. Foi ao todo uma semana de "evento" no blog.

Se você quiser saber mais sobre a "party" ou sobre as autoras é só clicar aqui.

Na rede # 19


O Na rede de hoje é especial. Fiz uma postagem mostrando somente capas internacionais de livros.

Primeiro quero mostrar pra vocês algumas capas de livros lindas, que já devem ser conhecidas, mas como não tenho certeza se todos já viram, vou mostrar assim mesmo. Depois várias versões para dois livros de Maggie Stiefvater, vocês ficaram impressionados com algumas.

  • Radiance - Alyson Noël


  • Tell me a secret - Holly Cupala



  • As várias versões de Lament - Maggie Stiefvater
1 - Capa americana
2 - Capa do Reino Unido
3 - Capa alemã




4 - Versão original pra capa



  • Duas versões pra capa de Ballad - Maggie Stiefvater
1 -Versão americana
2 - Versão alemã



Algumas foram retiradas do Facebook de Maggie Stiefvater. E tem muitas outras lá também...

E aí, não tem umas incríveis???