segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O caderno de David

Aos 23 anos, David morre vítima de um câncer. Deixa aos cuidados da mãe um caderno, com o intuito de ajudar o companheiro a aceitar sua sexualidade. Nele, há pensamentos que discorre assuntos como homossexualismo, família, religiosidade e amor ao próximo. Léo ao perder o companheiro, sente-se frágil. É descoberto pela família e humilhado em praça pública. Sai da cidade, deixando filhos e emprego. Um ano após, um grupo de jornalistas descobre uma poesia escrita por ele, destinada a David. Imediatamente pede para que ele retorne. Enfrentando a revolta da família, Léo é desafiado a escrever sua própria história. Mas para isso será preciso enfrentar seus próprios preconceitos.

Um livro feito pra mexer com os leitores. Uma história que trata de temas polêmicos e que quer mudar alguns conceitos e algumas atitudes. Homossexualismo, HIV, câncer, abuso sexual de menores, violência, traição, mentiras, barriga de "aluguel", suicídio, morte. Mas acima de tudo, é um livro que trata da vida, de histórias que poderiam acontecer com seu vizinho, seu amigo, seu parente ou até com você.

Léo é um homem bem sucedido, casado e com dois filhos adolescentes e que de repente se descobre envolvido com um jovem funcionário dele. Durante os três nos de relacionamento (por sinal traindo a esposa) Léo bate muito em David por não aceitar que seja homossexual. Só que a vida dá voltas, e David acaba morrendo vítima de um câncer e isso muda a forma de Léo enxergar a vida e a si mesmo.

Mas a família dele não aceita: a esposa o humilha (gente, isso eu entendo, vamos combinar que descobrir que é traída há 3 anos é dose e ainda por cima outro homem deixa o ego de qualquer mulher ferido né), o irmão o espanca e os pais o rejeitam. Seu único apoio é a mãe de David, Alice.

Léo, então, muda de cidade e passa por situações bem complicadas, até mesmo deixando de jantar pra poder almoçar, chegando a tentativa de suicídio. E novamente quem o salva e o "resgata" é Alice, mesmo depois de tudo que ele fez David passar.

Nesse meio tempo Alice havia entregado a Léo um caderno que David havia escrito antes de morrer e que retratava todos os seus sentimentos e pensamentos. E vou contar que o autor estava inspirado quando escreveu alguns trechos desse caderno (#chorei). É esse caderno que irá ajudar Léo a superar muitas outras provações que vão surgir na vida dele (e olha que não faltou nada hein...a coisa foi feia), principalmente depois que decide retornar a cidade a convite de um editor que encontrou uma poesia escrita por ele no dia da morte de David e que decidiu fazer uma matéria sobre isso.

Mas os fatos foram tão bons que a editora decide contratar Léo para escrever um livro sobre o universo gay. Para isso, ele tem que encarar os próprios preconceitos (e ele tem isso de sobra, nunca vi coisa igual rsr), aprender mais sobre as pessoas e enfrentar a própria família. Essa que por sinal vai trazer um monte de surpresas e desilusões para ele - nunca vi família tão complicada e cheia de segredos uahuah. Sério, a coisa é feia entre eles. Praticamente a cada capítulo você descobre um segredo novo, ou lê uma nova situação que te choca e às vezes enoja (calma gente, não estou sendo preconceituosa, estou falando da parte do abuso sexual tá). No final você vê que ninguém ali tinha moral o suficiente pra condenar as atitudes de Léo, mas que todo mundo fez isso.

Como eu falei no começo da resenha essa história trata de temas polêmicos e nos mostra, de certa forma, os caminhos que podemos seguir quando estamos vivenciando qualquer dessas situações, e que podem nos enriquecer, fazer com que evoluamos como pessoas ou podem nos afastar daqueles que mais amamos por medo, revolta ou preconceito. Precisamos aprender a lidar com as diferenças e com os problemas sérios, como doenças, que surgem no nosso caminho, afinal todos somos humanos e merecemos o devido respeito. E cá entre nós, se todos fôssemos iguais que graça teria? kkk

O fato é que esse livro vai sim mexer com você. Afinal você pode conhecer alguém que já foi vítima de preconceito, que tem HIV ou câncer e que sofreu muito com isso, e por isso é inevitável que não mexa contigo. Eu posso garantir que essa história mexeu e muito comigo.

"...Tenho um coração colorido... Que me perdoem os que vivem no mundo preto e branco..."

"Quero dizer que a vida é muito curta e que quando estamos terminando de escrever as últimas linhas de nossa história, percebemos que deixamos de fazer um bocado de coisas. Percebemos que perdemos tempo com julgamentos, com preconceitos e orgulhos que não serviram de nada, não nos levaram a lugar algum."

"Há pessoas que mesmo partindo, tornam-se eternas. A eternidade é a chance que nos foi dada para nos transformar em luz ..."

"Quando se fala de amor, o universo se torna infinitamente pequeno diante dele."


Autor: Daniel Caldeira
Editora: Lexia


10 comentários:

bibs disse...

Ah, só não gostei do termo "homossexualismo" ter sido usado na sinopse e resenha, pq caiu em desuso já que o sufixo ismo siginifica doença, e ser gay não é ser doente.
Tirando isso, estou encantada com a história o Daniel Caldeira escreveu!!!! Deve ser lindo ver esse amor, e ao mesmo tempo triste, ja que david morre. Acho que vou chorar litros ao ler auahaua
Um assunto tão polêmico ainda hoje né, merece muita atenção!
Parabéns pela resenha!

Beijão,
Bibs
Nooblandia

Luciana Mara disse...

Ei Amanda!
Só tema polêmico, hein?!
A história parece ser tocante e tensa.
Fiquei curiosa!Parabéns pela resenha!!!
Bjins

Eu disse...

Oi Amanda...
Só pra te falar que tem selinho no blog pra vc!

Bjus
Gisele
http://dicasdelivrosefilmes.blogspot.com/2011/02/selinho.html

luciane_rangel disse...

Oi, Amanda!
Tbm li e resenhei esse livro. Gostei bastante da forma como o Daniel escreve.
Adorei a sua resenha! =)
Bjos!

PS: Confesso que quando li tbm compreendi e morri de pena da esposa do Léo rs

Amanda disse...

Oi Bibs, eu não sabia que o termo estava entrando em desuso não, mas como o próprio autor usou no livro não acredito que tenha nenhum problema, até porque a intenção não foi pejorativa nem nada né. Ah, mas calma, o David morre logo no início, mas o caderno dele faz a gente chorar sim. Obrigada pelo elogio :D

Lu, obrigada!! A história é meio tensa mesmo, mas vale muito a pena.

Lucy, também gostei muito do jeito dele. Obrigada pelo elogio

Bjss

Mariana Ribeiro disse...

Não li ainda, mas confesso que me atrai muito livros que são polêmicos. Gostei da forma como você tratou do tema do livro na sua resenha Amanda. Fiquei com vontade de ler e já vou colocá-lo na minha lista imensaaa de desejados rsrs.
Bjos.


Mariana Ribeiro
Confissões Literárias.

Maeva disse...

Parece ser o tipo de história que me faria chorar do começo ao fim HAHA

--
Maeva
Murphy's Library

Amanda disse...

Que bom Mari... o livro é bom mesmo, leia que você vai chorar rsr

Nossa nem fala, faz sim!! rsr

₢ris disse...

O livro parece ser muito forte. Eu gosto!! ^^
Minha lista está grande, mas vou fazer de tudo para encaixá-lo.

Amanda disse...

Cris, o livro é bem forte mesmo, mas vale muito a pena!!