quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A morte do cozinheiro

É verdade, eu matei o cozinheiro. Em momento algum deste livro negarei que matei o sórdido cozinheiro com minhas próprias mãos de escrever versos. Havia motivo claro em saciar-se com a sua morte, morte de quem por carne e gozo objetou-se ao incomensurável amor que me tornava tão puro. Eu estripei-o com suas facas imundas de trabalho banal, e escalpelei por mimo infantil, de criança brincalhona, ao ver os índios e escalpes na TV. Matei o demônio com noventa facadas, cultivando um novo demônio sanguinário em mim, portanto não negarei ter feito a coisa mais maravilhosa que eu poderia fazer por minha inconsequência gloriosa naquele momento: Eu matei o cozinheiro. A morte do cozinheiro já deve ser considerada uma das obras literárias mais intensas e atuais sobre a dor de cotovelo e o ciúme. De forma singular o autor nos guia sem medo até o amor doente de Luiz Aurélio e as psicoses novas da recente solidão induzida. A derrota do ”eu” exaltado, o abandono, e a morte que pede lugar ao descontentamento puramente egoísta caminham livres. Vemos um jogo de querer e não poder, que desenrola o frágil espírito do ser humano desiludido de amor. Usando a mescla de linguagens necessária em sua abordagem diferenciada, Allan Pitz atormenta os corações abalados neste livro memorável e instigante, fazendo enxergar com outros olhos a parte considerada cruel de uma trágica história romântica.

É sem dúvida um livro poético e singular. Primeiro deixemos claro que não se trata de um livro policial, afinal sabemos desde o início quem matou o cozinheiro.

Durante o livro percebemos e vivenciamos a dor de Luiz Aurélio, um jornalista que tem o sonho de se tornar escritor. Ele se apaixona por Carmem, mas logo a vida a dois mostra não ser o conto de fadas e ela vai embora e meses depois o troca por um cozinheiro.

O interessante no livro é descobrir o que realmente levou Luiz a matar o cozinheiro. Você deve pensar: Mas é claro que foi por causa de Carmem? Bem, sim e não. O que faz com que o assassinato aconteça não é só por amor, mas há outras motivações, que estão ligadas a essa.

A narrativa de Allan é mesmo singular, como o próprio fala. O autor usa um português mais culto, diferente do que se costuma ver atualmente nos livros, e fez uma história bem intrigante. São poucas páginas, o que fez com que a história fosse contada de forma rápida, sem enrolação. Considero um livro bem legal de ler.

Autor: Allan Pitz
Editora: Above Publicações


18 comentários:

Juh Oliveto disse...

MEU DEUS!
QUERO MUITO ler o livro desde que li a sinopse, hahahaha.
Tá na minha lista [enorme]. As resenhas só me animam mais :P

Beijocas!
Juh Oliveto
Livros & Bolinhos ~

Kellen Baesso disse...

Achei a escrita super culpa mesmo, às vezes é até meio difícil de entender.
:)
Beijo

deiare disse...

Realmente é um livro poético. Eu tbm gostei.
bjos!!!
Sentimento nos Livros

Amanda disse...

Juh, que isso, lê logo! srsr

É kellen, a linguagem as vezes é bem rebuscada mesmo .

É poético mesmo Deiare

Bjs

Andrezza disse...

Ahhh! Parece ser super legal, vou adicionar a lista dos próximos a serem adquiridos >:

Mari disse...

Eu quero, tô doida pelo livro e as resenhas me deixam com mais vontade ^^

beijo

Amanda disse...

Andrezza participa da promo aqui no blog \o/

Então boa sorte na promo Mari

Bjs

Raphaela disse...

To suuuuper ansiosa pra ler esse livro *---*
Todas as resenhas falam MUITO bem dele!!

Beijos
;*

Luiz Claudio disse...

Depois dessa resenha a vontade de ler este livro aumentou mais ainda.
Beijos

Claudinha Teles disse...

Eu já li algumas resenhas desse livro e me interessei bastante, quero ler! *---*


Beijos

Amanda disse...

Nossa que responsabilidade a minha hein Luiz rsrsr.

Boa sorte pra vcs na promoção !! :)

Bjs

Pamela disse...

Nossa, realmente fiquei interessada pelo livro, gostaria muito de lê-lo.
Estou curiosa pelos motivos que levaram Luiz a matar o cozinheiro, já que não foi motivado somente pelo amor!

Darlanhayek disse...

a cada resenha da´mais vontade de ler a morte do cozinheiro...parabens pela resenha e pelo blog...

Amanda disse...

Pois é Pamela, teve um outro fator bem importante.

Obrigada Darlan!!! *-*

Inofensiva, mas capaz de trazer a dor. disse...

Desejo MUITO esse livro, gente. Tenho muita curiosidade em lê-lo.

Andrey disse...

Vi tanta gente falando bem desse livro, parece bem legal mesmo. Acho q vou procurar lê-lo =)
Parabéns pela resenha !

Amanda disse...

Oi pessoal, o livro é legal sim. Vale a pena

Chaiana disse...

Bom dia, Olha... a capa me chamou muito a atenção, o seu título, a sua resenha... A Sinopse... Tudo :) \o